História

Dioecano - 110 anos


110 anos educando com arte e sabedoria

O início da história

O ano de 1906 teve um grande marco da história da educação no Piauí quando o 1º Bispo Dom Joaquim Antonio D’Almeida resolveu fundar o Colégio e Seminário Diocesano.

Instalado inicialmente em prédio alugado à praça Saraiva, teve a sua primeira administração constituída por Pe. Bianor Emílio Aranha (Reitor), Pe. Ernesto Vasconcelos (Vice-Reitor e Ecônomo) e Pe. Clarindo Lopes Ribeiro (Diretor Espiritual), passando a funcionar do dia 25 de março, até o ano de 1914.

No governo de Dom Otaviano Pereira de Albuquerque, 2º Bispo do Piauí, o Colégio foi fechado, uma vez que os poucos recursos dificultavam o seu funcionamento.

Ao tomar esta decisão, Dom Otaviano passou a residir no prédio, deu prosseguimento às obras de conclusão da fachada, sob a orientação do Engenheiro João Faustino. Mandou colocar o seu brasão de armas na fachada do prédio e, novamente, o destinou ao Colégio Diocesano.

Dom Severino Vieira de Melo, 3º Bispo do Piauí, ao assumir o seu governo no dia 23 de fevereiro de 1924, teve como uma das suas metas principais a reabertura do Colégio o que fez acontecer no dia 1º de fevereiro de 1925, já com o nome de Colégio São Francisco de Sales, funcionando em regime de internato, semi-internato e externato.

Para administrar o Colégio, Dom Severino designou os Reverendos Mons. Constantino Bozon, como Diretor e Pe. Zaul Pedreira, como Vice-Diretor.

Em 1931, a primeira turma chegava à conclusão do Curso Ginasial. Em 1932 recebeu Inspeção Preliminar, em 1945 Inspeção Permanente, através do Decreto nº 18.295 de 5 de abril. No ano de 1945, foram instalados os Cursos Científico e Clássico e, por fim a Escola Técnica de Comércio, em 1946, que formou a primeira turma de contabilistas em 1951, na administração do Pe. Alberto de Freitas Santos.

No começo dos anos 40, um grupo de alunos, com o objetivo de criar um espaço de comunicação articulação entre os mesmos, fundou a revista Gente Nova e, em 1945, foi iniciada a veiculação do jornal Gente Nova – órgão do Grêmio Lítero – Musical “Monsenhor Constantino Bozon”, que tinha como diretor José de Ribamar Pacheco.

No período de abril de 1954 a setembro de 1959, o Colégio foi administrado por Pe. Deusdedit Craveiro (último diretor diocesano), que decidiu encerrar com o regime de internato e semi-internato.

O Colégio mantinha uma farda modelo militar com duas listras paralelas nas pernas da calça para os alunos internados e uma listra larga para os alunos semi-internos. Com o movimento de mudança nas fardas dos colégios de Teresina, Pe. Deusdedit, a pedido dos alunos, também resolveu aderir ao movimento e adotar farda calça cáqui e blusa branca de mangas curtas.

De outubro de 1959 até o início de 1960, o Colégio Diocesano teve o seu primeiro diretor leigo o Prof. Bernardo Lopes de Sousa, que administrou o Colégio no período de transição até a chegada dos Padres Jesuítas em 1960.

O Colégio Diocesano Infantil foi inaugurado em 2003. Hoje atende mais de 600 alunos entre dois e seis anos de idade.  E a proposta pedagógica do Colégio Diocesano Infantil é alicerçada na Pedagogia Inaciana, que considera o nível de desenvolvimento da criança e a sua singularidade e privilegia a ludicidade como estratégia para desenvolver a aprendizagem. As atividades são realizadas a partir dos âmbitos de experiências e eixos de trabalhos Identidade e Autonomia, Linguagem Oral e Escrita, Matemática, Movimento, Música e Artes, definidos nos Referenciais Curriculares da Educação Infantil e contemplam diferentes projetos de aprendizagem.

1ª Administração – 1906

Pe. Bianor Emílio Aranha – Reitor Pe. Ernesto Vasconcelos – Vice-Reitor e Ecônomo Pe. Clarindo Lopes Ribeiro – Diretor Espiritual

Diretores Diocesanos a partir da reabertura do Colégio em 1925

1 – Mons. Constantino Bozon e Lima 2 – Pe. Joaquim Nonato Gomes 3 – Monsenhor Cícero Portela Nunes 4 – Joaquim Raimundo Ferreira Chaves 5 – Pe. Paulo Hipólito de Sousa Libório 6 – Pe. Antônio José do Rêgo 7 – Pe. Lucílio Nunes 8 – Pe. Alberto de Freitas Santos 9 – Pe. José Isaías de Área Almeida 10 – Pe. Deusdedith Craveiro de Melo 11 – Prof. Bernardo Lopes (transição da Diocese para Companhia de Jesus)


Diretores

Diretores Rede Jesuíta

Histórico