Tarde pelo Haiti envolve comunidade escolar em iniciativa solidária

29/10/2016 21:14:55 - Atualizada em 31/10/2016 13:08:17 - Por Samira Ramos

Brincadeira, música e comida haitiana. A terceira edição da Tarde pelo Haiti reuniu pais, alunos e colaboradores da Educação Infantil do Diocesano em prol da educação haitiana. Este ano o evento contou com a presença das professoras, Guerline Brun, Yanie Raphael e da tradutora Nerlie Bellevrue que vieram do Haiti para participar de uma qualificação profissional na Educação Infantil e Escola Padre Arrupe em Teresina. A animação musical ficou por conta de Sérgio Lemos, Banda do Diozinho e Banda Curumim. O público também assistiu à apresentação de balé da Escola de Dança Luciana Libânio, participou de sorteio de rifa e bingo e pôde experimentar um prato típico do Haiti, a sopa de abóbora.

A Tarde pelo Haiti acontece desde 2015 e se propõe a ser uma iniciativa de arrecadação de dinheiro em prol da campanha Inacianos Pelo Haiti. Yanie e Guerline, que chegaram em Teresina no início de outubro, falam do acolhimento e empenho da comunidade escolar em desenvolver a atividade. “Estamos contentes em perceber que pessoas de outra nacionalidade pensam nos haitianos”, diz Yanie. Guerline relata que todas as experiências vivenciadas em Teresina são registradas para servir como inspiração ao modelo de educação no seu país. “Gostamos muito dos trabalhos manuais desenvolvidos com as crianças, da metodologia de alfabetização com incentivo à leitura e escrita”. As haitianas destacam ainda que a troca de saberes e métodos é muito importante e que elas têm muito a dar e a receber.

A coordenadora da Educação Infantil, Jovina Nascimento, avalia como positiva a vinda das professoras ao Brasil e que a presença delas fortalece a campanha Inacianos pelo Haiti nas unidades da Rede Jesuíta de Educação em Teresina. “Havia uma expectativa muito grande com a chegada delas. O contato com as professoras do Haiti reforça a importância e dá ânimo à campanha”. A mãe de alunos do Colégio Diocesano, que está à frente da mobilização do projeto com os pais, Gerlany Leite, diz que a vinda das haitianas possibilita mostrar o desenvolvimento da campanha nos colégios jesuítas e o apoio à causa. “É muito bom tê-las aqui para participar das atividades conosco”. Gerlany ressalta que a mobilização é feita também com as crianças para que se envolvam e entendam a importância de contribuir com o melhoramento da educação no Haiti.

Deixe um comentário

0 Comentário