Jovens escritores inacianos

15/04/2016 07:51:12 - Atualizada em 15/04/2016 11:49:57 - Por Camila Oliveira

Dois jovens escritores se sobressaíram na XIII Feira do Livro do Colégio Diocesano, da Rede Jesuíta de Educação: José Vitor Leal de Sousa, 10 anos, e Larissa Prado Vieira, 22 anos. O inusitado: aluno e ex-aluna da instituição que já se destacam no universo literário. Ambos foram convidados a participar de um bate-papo para contar aos demais estudantes como foi processo de criação dos seus livros “Poesias do Ito”, de José Vítor, e “Escolhas”, de Larissa Prado.

José Vítor estuda no Colégio Diocesano desde a Educação Infantil. Aos 7 anos começou a escrever pequenos poemas. Despertou seu interesse pela leitura com as revistas da Turma da Mônica e logo passou a ler livros mais extensos. Em 2015, publicou o livro “Poesias do Ito” que apresenta poesias sobre temas cotidianos de uma criança.

Larissa estudou no Diocesano do 1º ano do Ensino Fundamental a 2ª série do Ensino Médio. Escreveu sua primeira obra aos 13 anos. Apaixonada pelo mundo da leitura e incentivada desde criança pelos pais, que são professores, começou ainda na infância a criar histórias. Em 2012, venceu o Concurso de Novos Autores do Piauí, realizado pela Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves que garantiu o lançamento do livro “Escolhas”. A obra conta as experiências de uma adolescente de 16 anos que vive uma desilusão amorosa.

Veja agora a entrevista dada pelos autores ao site Diocesano:

José Vítor fala sobre seu livro "Poesias do Ito" na XIII Feira do Livro do Colégio Diocesano.

Diocesano - Seu livro trata de poesias sobre assuntos do cotidiano, o que te inspira a escrever nesse gênero? Esse é o seu tipo preferido de texto?

José Vítor - Tenho mais afinidade com a poesia. Acho que tenho facilidade em criar rimas. É meu tipo preferido de texto.

Diocesano - Como é o seu processo de escrita?

José Vítor - Às vezes, a poesia vem do nada. No entanto, sento para pensar sobre um assunto e escrever. Não consigo escrever deitado.

Diocesano - Que autores são referência para a sua escrita?

José Vítor - Eu gosto muito do Vinícius de Moraes. É minha principal inspiração. Conheci sua obra em uma peça da escola quando fazia o 3º ano do Ensino Fundamental. Meu poema preferido é “O Relógio”. Gosto também de autores internacionais como o Rick Riordan, autor da série de livros Percy Jackson e os Olimpianos.

Diocesano - Para você qual a importância da leitura? Você estimula seus amigos a ler e escrever?

José Vítor - A leitura é fundamental se você quiser aprender alguma coisa. Eu falo aos meus amigos que também podem escrever e que não devem desistir dos seus sonhos.

Diocesano - Como você desenvolveu o gosto pela leitura antes mesmo de ser alfabetizada?

Larissa - Eu sempre gostei de contar história, coisa de criança. Meus pais compravam revistas da Turma da Mônica para mim. Eu não sabia ler, mas olhava as figuras e inventava a história.

Larissa Prado escreveu "Escolhas" aos 13 anos de idade.

Diocesano - Qual a inspiração para escrever o livro “Escolhas”?

Larissa - Tinha 13 anos e gostava de observar meus amigos. Cada um tinha seus problemas e conflitos típicos da adolescência. Eu queria representar esses anseios e escrevi a história com base na observação da realidade dessas pessoas ao meu redor.

Diocesano - Você tem outros projetos de livros?

Larissa - Publicado apenas um. Mas tenho outras obras escritas que pretendo publicar um dia. Estou economizando o dinheiro das vendas desse livro para editar outra obra.

Diocesano - Além de escritora, você é estudante de Biologia na Universidade Estadual do Piauí (UESPI). Como pretende conciliar as duas atividades?

Larissa Prado: Esse é o meu maior questionamento! São duas atividades que eu gosto muito e não pretendo fazer essa escolha agora. A vida proporciona oportunidades, quem sabe eu venha a ser uma bióloga-escritora ou uma escritora-bióloga.

Deixe um comentário

0 Comentário