Diocesano encerra festividades dos 110 anos e homenageia pessoas e instituições com o Mérito Inaciano

06/12/2016 11:29:41 - Atualizada em 07/12/2016 11:55:38 - Por Samira Ramos

Colégio Diocesano completou 110 anos em 2016 e a culminância desse período festivo aconteceu na celebração eucarística e na solenidade de entrega das medalhas do Mérito Inaciano, no dia 3 de dezembro. A comemoração reuniu colaboradores, ex-alunos e autoridades da cidade em uma noite de homenagens às pessoas e às instituições que fazem parte da história do colégio pelo apoio e dedicação prestados. Estiveram presentes o superior da Plataforma Nordeste 1 da Província dos Jesuítas do Brasil, padre Cláudio Antônio Lorencini, SJ, o governador do Piauí, Wellington Dias (PT) e o prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB).

O Mérito Inaciano é a maior honraria do Colégio Diocesano. Ele foi inspirado nos princípios que norteiam a Pedagogia Inaciana, com vistas à formação integral da pessoa humana. A medalha entregue é uma homenagem às pessoas e às instituições que desenvolvem trabalhos relevantes em Teresina e no Estado, em sintonia com valores defendidos por Santo Inácio de Loyola, e que prezam pela emancipação do sujeito no sentido de ajudá-lo a assumir o seu protagonismo como agente transformador da sociedade. Foram homenageadas 10 pessoas e cinco instituições (veja os nomes abaixo).

Em 2016

Durante o ano, diversas atividades comemorativas celebraram o aniversário do colégio. A programação pelos 110 anos contou com o concurso para escolha do Hino Oficial da instituição, aberto para participação da comunidade teresinense. O Diocesano também foi homenageado em sessões solenes da Câmara de Vereadores de Teresina; proposta pela vereadora e ex-aluna do Diocesano, Teresa Britto (PV), e na Assembleia Legislativa do Piauí, proposta do presidente da Alepi e ex-aluno do colégio, deputado Themístocles Filho (PMDB).

As comemorações promoveram um encontro entre gerações de alunos e colaboradores, como na homenagem ao padre Florêncio Lecchi, jesuíta que colaborou por 50 anos como professor de Química. Ele teve sua biografia escrita pelos ex-alunos Gustavo Said e Fernando Leal. Também foi criado um memorial que reuniu objetos pessoais do jesuíta. O túnel subterrâneo que liga o prédio do Colégio Diocesano ao ginásio da escola virou local de recordação com a exposição Imaginário Afetivo, que busca preservar a memória do colégio e da Companhia de Jesus, por meio de fotografias e textos de caráter permanente. A trajetória do Diocesano também foi tema de atividades como as Olimpíadas, a Feira de Conhecimento (DIOFEIRAC) e o sarau dos alunos do 1º ano da Educação Infantil.

O diretor do Colégio Diocesano, Ir. Raimundo Barros, diz que o colégio escreve mais uma página de sua história e que o sentimento é de agradecimento pelo empenho e dedicação dos colaboradores na missão educativa e às famílias que confiam no trabalho da instituição. Ir. Raimundo reforça que é preciso unir esforços para avançar no processo educativo que se instala com o Projeto Educativo Comum (PEC), instrumento norteador do trabalho dos colégios e escolas jesuítas enquanto centros de aprendizagem integral. “Somos uma comunidade de aprendizes e, literalmente, celebrar 110 anos é catalisar o passado, mobilizar o presente e semear futuro”.

Conheça os homenageados

Albino Veloso de Oliveira é natural da cidade de Varzea Grande, no piauí. Licenciado em ciências biológicas pela universidade federal do piauí, também é especialista nas áreas de parasitologia, vigilância sanitária e epidemiológica, docência superior e bioética. É co-autor do livro "Paisagens Educativas", obra coletiva com artigos de pesquisadores de todo o brasil, que discute os múltiplos desafios com a chegada do terceiro milênio. Albino é professor de biologia no ensino médio do Colégio Diocesano há 32 anos. Ele desenvolve estudos sobre a pedagogia inaciana.

Antonio Fonseca dos Santos Neto é natural de passagem franca, no Maranhão, e recebeu o título de cidadão piauiense no ano de 2009. Doutor em políticas públicas pela Universidade Federal do Maranhão, é professor no Departamento de História, da Universidade Federal do Piauí. Também é graduado em direito e ocupa, desde 2010, a cadeira número 1 da Academia Piauiense de Letras. Fonseca Neto, como é conhecido, escreveu artigos que falam sobre a presença dos jesuítas na história do Piauí. Além disso, é autor do livro intitulado “+ Joaquim” que faz um recorte histórico da missão de Dom Joaquim Antônio D’Almeida, primeiro bispo de Teresina e fundador do Colégio Diocesano.

Benedito Moraes da Costa é natural da cidade de Valença do Piauí. É graduado em química pela Universidade Federal do Piauí. Começou a trabalhar no Colégio Diocesano há 38 anos, como professor do ensino fundamental e médio, dando aulas nas disciplinas de ciências e química. A partir de 1994 passou a exercer a função de auxiliar nos laboratórios de biologia, ciências e física no Colégio Diocesano. O professor Moraes, como é conhecido, é assíduo nos retiros organizados pelo colégio e praticante dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola há 22 anos.

A Cáritas Arquidiocesana de Teresina é uma entidade-membro da Cáritas Brasileira, um organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, que promove a solidariedade em prol dos menos favorecidos. A instituição atua há 47 anos na capital piauiense e na cidade de Nazária, promovendo o fortalecimento do protagonismo de pessoas excluídas, o desenvolvimento local sustentável, novas relações de gênero, raça e etnia e fomentando a construção de uma economia popular e solidária. Também realiza ações voltadas ao apoio emergencial, em razão de catástrofes naturais e/ou acidentais. A entidade atua com projetos que fomentam a formação política e cidadã de jovens e estimula a intervenção social nas comunidades.

O Colégio Sagrado Coração de Jesus foi fundado em 1906, em Teresina, no Piauí, e faz parte da Rede Saviniana de Educação e Assistência Social. É mantido pela Congregação das Irmãs dos Pobres de Santa Catarina de Sena, por meio da Associação Norte Brasileira de Educação e Assistência Social. Também conhecido como Colégio das Irmãs, oferece Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio, com a missão de proporcionar uma formação cristã, numa perspectiva de integração entre fé, cultura e vida. Assim como o Colégio Diocesano, a instituição completa 110 anos em 2016. O Colégio Sagrado Coração de Jesus é referência em ensino de qualidade na cidade de Teresina, tendo formado muitas gerações.

Dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho é natural de Bacabal, no Maranhão. Estudou filosofia no Seminário Provincial de Fortaleza e no Seminário Regional do Nordeste, em Recife. Neste último, também cursou teologia. Possui ainda formação em psicopedagogia. Tem vários livros publicados, entre eles “Meus primeiros passos com a Bíblia”, que traz orientações para condução de um curso bíblico e é direcionado a iniciantes. Dom Jacinto foi bispo diocesano em Crateús, no Ceará, e no ano de 2012 o papa Bento XVI o nomeou para a missão que exerce atualmente: arcebispo da cidade de Teresina. Ele sucede a dom Sérgio da Rocha, sendo o 7º a ocupar o posto. Dom Jacinto realiza um importante trabalho levando pastorais às periferias de Teresina, na intenção de aproximar as pessoas, principalmente os jovens, da igreja.

A Fazenda da Paz é uma comunidade terapêutica fundada em 1994 pelo padre Pedro Balzi, com o apoio do então arcebispo de Teresina, Dom Miguel Fenelon Câmara, e de leigos da Arquidiocese de Teresina. A instituição tem como objetivo prevenir, tratar e reinserir na sociedade pessoas fármaco dependentes e alcoólatras. O tratamento é feito sem uso de medicamentos. Por meio de parcerias, a Fazenda da Paz incentiva a qualificação profissional dos acolhidos com a inserção na educação formal. Também são promovidos encontros de oração, atividades esportivas e culturais, oficinas e visitas aos familiares. Atualmente, a Fazenda da Paz possui seis unidades masculinas nas cidades de Teresina, Timon e Valença, além de uma unidade feminina recém-inaugurada na capital piauiense, que estará em funcionamento a partir de janeiro. São 30 voluntários e 180 pessoas em tratamento.

A Casa de Apoio à Criança com Câncer, mais conhecida como Lar de Maria, é uma organização não-governamental que foi inaugurada em junho de 2000, em Teresina. No local, são amparadas crianças portadoras de câncer e seu responsável, provenientes do interior do Piauí e de outros estados, durante o tratamento oncológico em Teresina. Por meio de cinco projetos permanentes para arrecadação de donativos, o Lar de Maria oferece hospedagem, alimentação, roupas, calçados, brinquedos, auxílio para aquisição de medicamentos e exames, passagens, atividades socioeducativas e lazer. Tudo gratuitamente. A organização também promove campanhas em datas comemorativas para chamar a atenção da sociedade. Atualmente, cerca de 100 crianças são atendidas, com o auxílio de 70 voluntários. A casa é de responsabilidade da Rede Feminina de Combate ao Câncer, associação filantrópica que tem por finalidade a luta social no combate à doença.

Maria da Conceição Rodrigues dos Reis é natural de Teresina, no Piauí. O Colégio Diocesano se faz presente na vida dela desde a infância: Conceição fez catecismo na instituição. Ela morava no bairro Lucaia, atual Vermelha. Antônio Carneiro desenvolvia trabalhos sociais na região e a indicou para trabalhar no Diocesano. Iniciou como secretária do padre Florêncio Lecchi e desde 2002 é auxiliar de secretaria. São 37 anos como colaboradora na missão da companhia de jesus em Teresina.

Maria de Jesus Soares Diocesano é natural de Amarante, no Piauí. É graduada em Letras Português e Inglês pela Universidade Federal do Piauí. Ainda em sua cidade natal, iniciou a militância no Movimento Juventude Agrária Católica. Já em Teresina, foi presidente do Conselho Comunitário e Pastoral do bairro Parque Piauí e vice-presidente da Federação das Associações de Moradores do Estado do Piauí. Como professora, é atuante na luta por melhorias na educação, tendo idealizado o primeiro projeto de creche em regime integral, hoje concretizado e denominado “CMEI Jesus Diocesano”. Atua na Associação Filantrópica movimento busca de soluções, no bairro Parque Piauí, que presta atendimento a pessoas de todas as idades, oferecendo esportes, balé, capoterapia, zumba e diversas atividades, gratuitamente. Dona Jesus Diocesano é ex-presidente do Conselho Municipal do Idoso de Teresina e, atualmente, conselheira do órgão.

Maria Olinda de Sousa Borges é natural de Teresina, no Piauí. É graduada em Letras Português e em Teologia, pela Universidade Federal do Piauí, e possui pós-graduação em Língua Portuguesa e Produção de Texto, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Olinda começou a trabalhar no Colégio Diocesano como professora substituta e logo foi contratada para dar aulas de Ensino Religioso. Foi coordenadora pedagógica durante 10 anos e atualmente leciona a disciplina de Língua Portuguesa no Ensino Médio. Com uma trajetória de 34 anos no diocesano, têm dedicado 30 deles para além da sala de aula, trabalhando também com a pastoral carcerária da escola.

Mônica Mendes da Rocha é natural do município de Buriti dos Lopes, no Piauí. É ex-aluna do Colégio Diocesano, tendo sido matriculada na instituição em 1973, ano em que foi admitida a entrada de mulheres. Graduada em ciências econômicas pela Universidade Federal do Piauí, é economista no Departamento Nacional de Obras Contra as Secas, autarquia federal que existe desde 1909. Desde 2004 participa do Núcleo de Ex-alunos do Diocesano, o NEX, grupo que, além de promover confraternizações e momentos de aprofundamento espiritual com os ex-alunos, desenvolve ações sociais junto a pessoas em situação de vulnerabilidade. Atualmente, Mônica é vice-presidente do NEX.

Patrícia Carvalho Prado é natural da cidade de Piripiri, no Piauí. É graduada em história pela Universidade Estadual do Piauí e possui especialização em Metodologia do Ensino e em Gestão de Aprendizagem. É colaboradora no Colégio Diocesano há 11 anos e neste período participou do preparo de importantes eventos. Na comissão de organização das comemorações pelos 110 anos do colégio, esteve à frente da inauguração de ‘Imaginário Afetivo’, exposição permanente no túnel subterrâneo que liga o prédio principal do Diocesano ao ginásio. Atualmente, é coordenadora do Departamento de História do colégio.

Rosa Rodrigues de Amorim é natural de Teresina, no Piauí. É graduada em história pela Universidade Estadual do Piauí e possui especialização em Educação Infantil pela Universidade Federal do Piauí, além de um curso pedagógico pelo Instituto de Educação Antonino Freire. Rosa tem 20 anos de experiência como professora de ensino infantil, fundamental, médio e no ensino de jovens e adultos em escolas estaduais. Começou a trabalhar na Educação Infantil do Colégio Diocesano em 2004, ainda como estagiária, e logo foi contratada na função de auxiliar de disciplina. Há 11 anos é professora polivalente nas turmas de 1º ano do Ensino Fundamental.

A Sociedade de São Vicente de Paulo é uma organização civil de pessoas que se dedicam ao trabalho cristão de caridade. Foi criada em 1833, na França, com o objetivo de aliviar o sofrimento das pessoas vulneráveis e fortalecer a fé de seus membros. Atualmente, a organização está presente em 150 países e auxilia diariamente cerca de 30 milhões de pessoas, por meio da dedicação dos cerca de 800 mil voluntários. No Piauí, a instituição mantém o abrigo para idosos Casa Frederico Ozanam e atua com assistência material e espiritual a famílias em situação de vulnerabilidade social. Além disso, também proporciona a formação de crianças e jovens por meio de participação nas visitas domiciliares de assistência social, reuniões semanais e encontros de lazer.

Confira fotos

Deixe um comentário

0 Comentário