Nossa História

A história secular do Colégio São Francisco de Sales, mais conhecido como Colégio Diocesano, começa no início do século XX. No dia 25 de março de 1906, o Diocesano abriu suas portas para iniciar uma história de compromisso com a educação no Piauí. Idealizado pelo primeiro bispo do Piauí, Dom Joaquim Antônio de Almeida, funcionou por um ano em sede alugada.

O atual prédio foi erguido em 1907, ocupando todo o quarteirão entre as ruas Olavo Bilac e São Pedro. O Seminário Diocesano funcionou no mesmo prédio até o final de 1914, quando as atividades foram interrompidas por falta de recurso financeiro.

Em 1924, ao ser nomeado bispo, Dom Severino Vieira de Melo teve como uma das suas metas principais a reabertura do colégio. Em 1º de fevereiro de 1925, a instituição foi reaberta em regime de internato, semi-internato e externato. Em 1959, novas mudanças: o padre Deusdedith Craveiro – último diretor do colégio sob a administração da Diocese – decidiu encerrar com o regime de internato e semi-internato.

No início da década de 1960, em 13 de março, a instituição foi entregue aos padres jesuítas que regressavam ao Piauí. O Colégio Arquidiocesano São Francisco de Sales passava agora a integrar as obras da Companhia de Jesus. O Colégio Diocesano Infantil, por sua vez, foi inaugurado em 2003, atendendo a estudantes entre dois e seis anos de idade.

Curiosidades

O Colégio mantinha uma farda modelo militar com duas listras paralelas nas pernas da calça para os alunos internados e uma listra larga para os alunos semi-internos. Com o movimento de mudança nas fardas que aconteceu nos colégios de Teresina, padre Deusdedith, a pedido dos alunos, resolveu aderir ao movimento e adotar farda calça cáqui e blusa branca de mangas curtas.

O ingresso de alunas no quadro de discentes do Colégio Diocesano aconteceu a partir de 1968 com a experiência de cursinho preparatório para o vestibular. Em 1974, após um ano de experiência com algumas alunas matriculadas no ensino regular, o colégio deixou de ser constituído somente por alunos do sexo masculino e passou a aceitar mulheres.

Os estudantes do Colégio Diocesano sempre desenvolveram projetos, como: a revista Gente Nova, no início dos anos 40, criada com o objetivo de dar espaço de comunicação entre os alunos; e o Cine-Clube Teresinense, idealizado pelo padre Carlo Bresciani, SJ, então diretor geral do Colégio Diocesano, onde eram feitas projeções de fita e, em seguida, eram discutidas questões técnicas e temáticas.

1931 a 1935

Pe. Joaquim Nonato Gomes

Déc 30/40

Pe. Joaquim Raimundo Ferreira Chaves

1939 a 1941

Pe. Paulo Hipólito de Sousa Libório

1942 a 1949

Pe. Alberto de Freitas Santos

1954 a 1958

Pe. Deusdedith Craveiro de Melo

1960 a 1963

Pe. Carlo Bresciani, SJ

1964 a 1968

Pe. Ângelo Imperiali, SJ

1969 a 1971

Pe. Carlo Bresciani, SJ

1972 a 1978

Pe. Luciano Ciman, SJ

1979 a 1985

Pe. Ângelo Imperiali, SJ

1986 a 1993

Pe. Darly Luiz de Almeida, SJ

1993 a 2001

Pe. Alessio Saccardo, SJ

2002

Pe. Waldyr dos Santos, SJ

2003 a 2007

Pe. José de Anchieta L. Costa, SJ

2007 a 2012

Pe. Darly Luiz de Almeida, SJ

2012 a 2017

Ir. Raimundo Nonato Oliveira Barros, SJ

2018

Pe. Vicente Zorzo, SJ